Medium istock 622897998 2

Mercado de trabalho vai mudar radicalmente com tecnologia

22 de Março de 2017

Thumb boletim%2blogo%2bquadrado

O grande desafio das pessoas que estão entrando no mercado de trabalho ou pretendem permanecer nele é acompanhar as mudanças do ambiente profissional com a mesma velocidade em que elas estão acontecendo.

Dentro de dois ou três anos, até 45% das atividades executadas por pessoas poderão ser automatizadas. A tecnologia deve  substituir as tarefas cognitivas e as atividades mecânicas. Apesar disso, 83% das empresas pretendem manter ou até aumentar o número de profissionais contratados.

Isso significa que, em um ambiente de trabalho ainda mais automatizado, os profissionais precisarão desenvolver novas competências, baseadas em características essencialmente humanas, como criatividade e inteligência emocional, tendo em vista a busca de caminhos para relações e negociações, por exemplo.

Esses dados fazem parte da pesquisa “A Revolução das Competências” da consultoria ManpowerGroup, apresentada no Fórum Econômico de Davos este ano. Para realizar o estudo, foram ouvidos mais de 18 mil empregadores em 43 países.


Geração Z

De acordo com a pesquisa, 65% dos empregos da geração Z (pessoas nascidas na década de 90 até 2010) nem sequer existem ainda. Para conseguir um trabalho nos próximos anos, ou continuar empregado, será fundamental investir em novos conhecimentos.

Segundo o estudo, as empresas já estão se preparando para as mudanças: 74% oferecem treinamento interno, 62% oferecem treinamento externo, 39% contratam especialistas para transferir competências para os colaboradores, 39% recrutam pessoal com novos conjuntos de competências, 29% recrutam pessoal com novos conjuntos de competências para substituir os existentes e 23% terceirizam funções de negócios.